Projeto EMPREENDER COLABORAR TRANSFORMAR

Existe um movimento crescente de pessoas que se dedica à resolução de problemas da sociedade através de iniciativas inovadoras, sustentáveis e solidárias. Participar deste movimento é a proposta do Projeto “empreender COLABORAR TRANSFORMAR”. Incentivar os alunos da Escola Secundária de Miraflores a criar mais e melhor valor para a sociedade é o grande objetivo deste projeto.

Para atingir este objetivo inspiramo-nos nos inúmeros exemplos de empreendedorismo, nomeadamente o social, que nos entusiasmam e fazem acreditar num rumo verdadeiramente gratificante para o mundo em que vivemos.

Alda Coutinho

Teresa Ferreira

Ainda há 840 milhões de pessoas a passar fome

“Se acreditarmos firmemente que a pobreza é inaceitável – que não poderá ter lugar numa sociedade humana civilizada – então construiremos instituições e traçaremos as políticas apropriadas para criarmos um mundo sem pobreza (...)
É possível eliminar a pobreza do nosso mundo, porque ela não é natural aos seres humanos – mas é imposta artificialmente. Dediquemo-nos a acabar com a pobreza o mais depressa possível, metendo-a nos museus uma vez por todas (...)
M. Yunnus 

imagem da net

O novo milénio começou com um grande sonho global: reduzir, para metade, até 2015, a pobreza e a proporção da população que sofre de fome. Este é o primeiro objetivo do milénio. Nunca antes, na História da Humanidade, o mundo inteiro se tinha comprometido a atingir um objectivo tão audacioso, a uma só voz, com metas e prazos determinados. No entanto, esta parece ser uma meta inatingível. Embora a percentagem da população com fome tenha baixado 17% desde 1992, segundo o relatório da ONU sobre "O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo", o problema ainda atinge uma pessoa em cada oito.






De acordo com o Expresso, 1/10/2013:   



"Um total de 842 milhões de pessoas passou fome crónica no período entre 2011 e 2013. Ou seja, uma pessoa em cada oito não teve acesso a alimentação que, de forma diária e habitual, garantisse a energia suficiente para o desempenho das suas atividades cotidianas.
Este número ultrapassa em mais de 100 milhões a totalidade da população na Europa e que representa cerca de 12% da população mundial -

Segundo os dados do último relatório da ONU, ainda que a situação tenha melhorado e o total da população com fome tenha baixado dos 868 milhões registados entre 2010 e 2012, a prevalência de desnutrição continua a ser especialmente preocupante na África Subsaariana, onde os avanços têm sido modestos nos últimos anos. Nesta região, a média de pessoas com fome foi superior, atingindo uma em cada quatro.

O progresso revela-se igualmente lento no Sul da Ásia e norte da África, enquanto a Ásia Ocidental não mostra qualquer evolução positiva.

São necessários mais esforços

Ainda assim, olhadas como um todo, as regiões em desenvolvimento apresentam progressos significativos. Uma perspetiva animadora que o relatório "O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo" espelha, não deixando as  três agências das Nações Unidas - o Programa Alimentar Mundial (PAM), a Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (IFAD) - de salientar que são necessários mais esforços para se alcançarem os objetivos mundiais de erradicação da fome traçados até 2015.

O relatório admite que o crescimento económico pode "aumentar os rendimentos e reduzir a fome", mas sublinha que esse crescimento pode não chegar a todos. É preciso garantir que as políticas de apoio, nomeadamente em matéria de emprego, produtividade agrícola e protecção social, visem "especificamente os pobres, especialmente aqueles em áreas rurais".

Há que reconfigurar urgentemente um novo caminho.




Nenhum comentário:

Postar um comentário